Como mudar categoria de CNPJ?

Quando os negócios começam a prosperar é chegada a hora de mudar categoria de CNPJ. Normalmente, essa necessidade acontece quando os microempreendedores individuais (MEI) passam a faturar além do valor limite, precisam fazer contratações ou resolvem chamar um novo sócio para a empresa. 

Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) é o número que garante a formalização das pessoas jurídicas perante o governo. Isso dá à empresa o direito de emitir notas fiscais, participar de licitações, receber subsídios governamentais e outros benefícios que só ocorrem com o cadastro formal.

Portanto, se você tem dúvidas quanto às opções disponíveis, como e quando fazer essa mudança, leia esse nosso artigo para entender melhor. 

Quais são os tipos de categorias disponíveis?

Primeiramente, antes de entender como mudar categoria de CNPJ, é importante saber quais são os tipos disponíveis e para quem eles são indicados. Os  tipos de CNPJ precisam estar adequadas ao tipo da empresa, atividade-fim, ao faturamento, quantidade de sócios e forma de constituição. Além disso, eles podem se dividir em pequenas — microempresa (ME) ou empresa de pequeno porte (EPP) —, médias e grandes empresas. Confira.

Microempreendedor Individual (MEI) 

O número de microempreendedores no Brasil cresceu nos últimos anos. Essa modalidade é bastante vantajosa para empreendedores que estão começando. Confira as suas características: 

  • possibilidade de uma pessoa física possuir cadastro de pessoa jurídica;
  • limite de faturamento anual deve ser R$ 81 mil;
  • o empreendedor só pode contratar um colaborador;
  • não há possibilidade de ter sócios; 
  • seu negócio deve estar incluso em uma dessas atividades

Empresa Individual (EI)

Veja as principais características da Empresa Individual (EI): 

  • limite de faturamento anual de R$ 360 mil;
  • possibilidade de único sócio;
  • liberação para atividades do setor industrial, comercial ou prestação de serviços;
  • sem restrições quanto ao limite de contratação de colaboradores.

Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI)

Nesse modelo de negócio, há diferenciação entre CNPJ e CPF. Confira os outros detalhes: 

  • possibilidade de um único sócio; 
  • capital social, pelo menos, 100x o salário mínimo vigente;
  • abertura e atos societários realizados em Junta Comercial. 

Sociedade Empresária Limitada (LTDA) 

Nessa modalidade de categoria, há a possibilidade de dois ou mais sócios. Além disso:

  • todos os detalhes financeiros devem ser decididos em contrato;
  • cada sócio terá direito ao lucro baseado em sua porcentagem de investimento;
  • as dívidas se limitam ao capital social investido pelo sócio. 

Sociedade Anônima (SA)

Essa modalidade é mais comum para grandes empresas. Veja suas particularidades:

  • capital social pode ser aberto ou fechado;
  • participação de diversos sócios;
  • a participação se dá por meio da compra de ações ou cotas;
  • normalmente, há assembleias, conselhos e diretorias. 

Dessa forma, ao entender melhor as categorias disponíveis e suas principais regras, você pode visualizar em qual se enquadra e quais opções em caso de mudança. 

Como mudar categoria de CNPJ? 

Agora você já sabe quando deve mudar de categoria de CNPJ. Assim, a alteração será necessária quando o seu negócio estiver desenquadrado em algum requisito, como: número de sócios, capital social, faturamento anual, entre outros detalhes.

É importante ressaltar que, em alguns casos, como mudança do ramo de atividade, pode não ser possível fazer a alteração de categoria. Nesses casos, você precisará dar baixa nesse CNPJ e abrir outro seguindo os padrões corretos. 

Além disso, quando há a alteração ou adição de novas atividades, pode surgir a necessidade de novas licenças ou outros impostos que o modelo anterior não exigia, por isso, é importante pesquisar as opções viáveis e conferir qual delas é mais vantajosa.

Entenda melhor como mudar com um exemplo prático.

Mudança de MEI para EIRELI, ME ou EPP

Se você for um Microempreendedor (MEI) e alguma dessas situações ocorrer, você precisará mudar de categoria:

  • faturamento superior a R$ 81 mil por ano;
  • necessidade de contratar mais de um funcionário;
  • mudança de CNAE para uma opção que não se enquadra no MEI;
  • abertura de filial;
  • necessidade de um novo sócio.

Nesse caso, você poderia migrar para a modalidade EIRELI, como Microempresa (ME) ou Empresa de Pequeno Porte (EPP). O primeiro passo é acessar o portal do Simples Nacional e fazer o pedido de desenquadramento. Ao fazer isso, o valor de recolhimento dos impostos será alterado para que uma nova alíquota seja criada. 

Formalização na Junta Comercial 

Depois disso, é necessário ir até a Junta Comercial e fazer o registro, conforme o capital social e seu faturamento anual. É importante ressaltar que no contrato social deve estar formalizado que o CNPJ é um MEI que está migrando para um regime fiscal com tributação diferenciada, esse processo é chamado de constituição por transformação. 

Ao fim da formalização na Junta Comercial, o empreendedor deverá requisitar uma Inscrição Estadual na Secretaria Estadual da Fazenda. Em alguns casos, pode ser necessário a ajuda do contador, pois há segmentos que requerem o certificado digital de um profissional para dar segmento ao processo. Se, ao final da formalização, o empreendedor não fizer a atualização nos órgãos responsáveis, sua atividade será considerada irregular.

Formalização em outros órgãos 

Em sequência, você deve pedir um alvará de funcionamento na prefeitura e realizar o cadastro de emissão de notas fiscais. Caso sua atividade tenha recolhimento do ICMS — imposto sobre circulação de mercadorias e prestação de serviços de transporte interestadual e intermunicipal e comunicação — você deverá fazer o enquadramento junto à Secretaria da Fazenda do seu estado. Também é necessário se cadastrar na Previdência Social, mesmo que não haja funcionários contratados na sua empresa. 

Ademais, se sua atividade empresarial tiver relação com órgãos de classe, como CRECI, SUSEP, CRC, é necessário comunicar a mudança e averiguar o que é preciso para a atualização junto a esses órgãos. Pronto, depois de todos esses passos, a sua mudança está concluída. 

De maneira geral, essa é a forma como ocorre a mudança da categoria de CNPJ. Contudo, esses procedimentos podem variar conforme a categoria que você está saindo para a nova que pretende ir e também quanto à cidade e ao estado. Afinal, os órgãos responsáveis são da esfera municipal e estadual, portanto, não há unicidade de regras em nível federal. 

Como facilitar a rotina do empreendedor?

Assim, podemos concluir que com organização e planejamento é possível mudar categoria de CNPJ. Os gastos totais com taxas obrigatórios para fazer a transição pode variar entre R$ 200,00 a R$ 300,00, sem contar custos de contadores e advogados, caso seja necessário. Antes de realizar a mudança, pesquise e entenda os motivos que estão te levando à transição e, se alguma dúvida persistir, procure a ajuda de um profissional como um contador para te ajudar.  

Por fim, se depois de mudar categoria de CNPJ, você precisar de um banco digitalconheça as soluções do Linker!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WordPress Image Lightbox Plugin
Rolar para cima

Fique por dentro


Que tal receber no seu e-mail conteúdos que podem ajudar na gestão da sua empresa?

Preencha seu nome e e-mail: