Planejamento para abertura de empresa no computador

Planejamento para abertura de empresa: com planilhas para a gestão do seu projeto

Se você está querendo abrir um negócio, então precisa se planejar muito bem para que ele já comece com o pé direito e com maiores chances de sucesso.

Não ter um planejamento para abertura de empresa é como dar um tiro no próprio pé. Afinal de contas, não é segredo nenhum que muitas empresas fecham antes de 5 anos de existência justamente por esse motivo, ou seja, por não ter um planejamento.

E isso é algo muito comum. Diversos empreendedores, quando vão abrir um negócio, não têm ideia do capital de giro necessário, não estudam os hábitos de consumo dos seus possíveis consumidores ou mesmo não entendem se há realmente demanda para o produto ou serviço.

Todos esses pontos e outros tão relevantes quanto precisam estar nas suas planilhas de gestão e na organização do empreendimento como um todo.

Leia também: Como pensar fora da caixa para sua empresa?

Confira abaixo tudo o que você precisa para se planejar, passo a passo, e evitar que o seu negócio tenha o destino de vários outros, ou seja, fechar as portas. Acompanhe!

Como fazer um bom planejamento para a abertura do seu negócio

Definindo o objetivo do negócio

Para que o seu negócio existe? É claro que dar lucro e lhe proporcionar qualidade de vida é um deles. Mas o que o seu empreendimento faz pelas pessoas? Oferece serviços e produtos de beleza? Você tem uma academia e proporciona mais saúde? Qual é a sua intenção com sua empresa? O que você pretende vender?

Tudo isso faz parte do objetivo do seu negócio e precisa ser descrito e entendido de forma clara. Não apenas por você, mas por toda sua equipe. 

E o objetivo de negócio deve ser, não só apenas geral, como acabamos de descrever, como também específico.Por exemplo, objetivos para cada setor como gerar leads no caso do setor de marketing ou aumentar as vendas e assim por diante.

Tipos de CNPJ

Existem diversos tipos de CNPJ e você precisa saber em qual deles a sua empresa “cabe”. A partir do tipo de serviço que um negócio oferece é possível identificar qual será o CNPJ que deve ser utilizado.

Hoje, no Brasil, temos as seguintes opções:

  • MEI (Microempreendedor Individual): limite de faturamento de até R$ 81 (está em constante atualização), não pode ter mais de um funcionário, entre outras características;
  • EI (Empresa Individual): o faturamento anual é de até R$ 360 mil no caso de Microempresa e de até R$ 3,6 milhões no caso de Empresa de Pequeno Porte;
  • EIRELI (Empresa Individual de Responsabilidade Limitada): precisa ter um capital social  mínimo de 100 salários mínimos;
  • LTDA (Sociedade Limitada): aqui há a possibilidade de não ter valor mínimo para o capital social. Mas se você resolver empreender com esse tipo de CNPJ sem sócios, terá que ter um;
  • SA (Sociedade Anônima): deve ter, pelo menos, 7 pessoas e o empreendimento é dividido em ações para cada um dos participantes.

Bom, dito isso, você deve analisar em que situação a sua nova empresa se encaixa melhor e iniciar a formalização da mesma.

Capital social e investimento necessário

O capital social é o investimento financeiro inicial que cada um dos sócios faz na empresa. Esse valor possui dois principais objetivos:

  • limitar a responsabilidade de cada sócio se a empresa vier a ter dívidas;
  • será a base para saber quando esse investimento trará um retorno para cada um.

E como fazer para descobrir o tempo de retorno do investimento feito? Basta fazer um cálculo bem simples:

ROI = Valor do Investimento / Lucro Líquido da Empresa

O que você e, talvez seus sócios, precisarão investir para abrir uma empresa vai depender muito do nicho, do tipo de CNPJ, do local onde está a empresa, entre outros fatores.

Planejamento tributário

Outro ponto extremamente necessário e que, por muitas vezes, é deixado de lado por ser considerado “chato” e burocrático.

O planejamento tributário pode ser isso e muito mais, mas o fato é que ele precisa ser feito. E ele não é tão ruim quanto muitos pensam e você pode pedir também a ajuda de um contador.

Esse tipo de planejamento serve, principalmente, para economizar o dinheiro da empresa. Isso mesmo, ele vai te ajudar a gastar menos, ou seja, a aumentar os lucros. Muitos empreendimentos, atualmente, pagam impostos que não deveriam ou pagam mais do que deveriam só por não fazer um planejamento prévio com esses dados.

Além de maior economia, fazer um planejamento tributário também é capaz de oferecer maior segurança financeira e competitividade no mercado. Para fazer o seu você vai precisar:

  1. fazer uma coleta de dados das atividades do seu negócio;
  2. fazer uma análise jurídica e de enquadramento da empresa;
  3. escolher qual regime tributário (Simples Nacional, Lucro Real ou Lucro Presumido);
  4. analisar os cenários;
  5. definir um cronograma;
  6. definir objetivos e metas.

Assim como qualquer outro, é preciso rever constantemente o planejamento tributário e ajustá-lo de acordo com o momento do seu empreendimento.

Elaborando um plano de negócios

Análise de mercado

Aqui, você deve analisar tudo o que envolve o seu negócio de forma geral. Por exemplo, quem são os seus concorrentes? Quais são os melhores fornecedores? Quais produtos ou serviços você consegue oferecer para o público?

Todos esses pontos precisam ser observados quando se faz uma análise de mercado. Isso consegue preparar melhor o seu empreendimento para o que está por vir.

Análise de concorrência

Esse é um dos pontos mais importantes, afinal de contas, não dá para perder tempo e dinheiro oferecendo mais do mesmo. O seu negócio precisa ter um diferencial e assim você será capaz de ultrapassar os concorrentes.

Para fazer isso, você vai precisar seguir alguns passos como:

  • definir objetivos claros para essa análise, entende o motivo e como ela pode te ajudar;
  • escolher os critérios que serão analisados;
  • identificar qual a melhor forma de coletar esses dados;
  • interpretar esses dados;
  • apresentar resultados da análise de concorrência para as áreas da empresa.

Existem diversas ferramentas no mercado que podem te ajudar com isso. Por exemplo, você pode dar uma olhada no site Reclame Aqui e buscar pelos seus principais correntes. Veja quais são os principais pontos fortes e, principalmente, os fracos.

Confira também: Desenvolvimento de produtos modo guerrilha!

Plano de marketing — posicionamento no mercado

Sem dúvida alguma, o marketing é a alma do negócio e, mais do que nunca, você precisa saber se posicionar. Criar um tom de voz para sua marca, as cores que a representam, em que canais vai estar… todos esses pontos precisam ser avaliados.

Veja como montar o seu plano de marketing sem maiores complicações:

  • faça uma boa pesquisa de mercado para identificar o comportamento de consumo do seu público-alvo;
  • crie as personas para ser mais assertivo;
  • monte um cronograma bem definido para o marketing on e off;
  • seja realista para traçar as metas.

Você também pode tomar como exemplos empresas que são sucesso neste aspecto. Por exemplo, a Airbnb, Coca-Cola e outras gigantes do mercado.

Leia também: Sete livros de empreendedores brasileiros para se inspirar!

Planejamento operacional e planejamento financeiro

O planejamento operacional nada mais é do que um conjunto de ações que são planejadas para cada setor da empresa. É também conhecido como plano de trabalho e serve como um verdadeiro guia para os colaboradores.

É algo mais prático, ou seja, as equipes precisam colocá-lo em prática todos os dias. E isso, por consequência, gera resultados dia após dia. Por isso, é muito importante que o seu planejamento operacional e também o financeiro seja bem detalhado e fácil de ser entendido.

O planejamento financeiro segue o mesmo raciocínio e ele precisa de ainda mais atenção, afinal de contas, sem dinheiro em caixa suficiente, sua empresa não será capaz de fazer muita coisa.

Quer melhorar o controle financeiro do seu negócio? Então, abra uma conta corrente PJ na Linker!

Planilhas para a gestão e abertura da empresa

Fluxo de caixa

Você, certamente, já ouviu falar em fluxo de caixa e da importância dele para saber como vai a saúde do seu negócio. Portanto, montar um, ainda que o seu negócio não tenha começado de fato, é de grande relevância.

Afinal de contas, é por meio dele que você vai conseguir saber todas as movimentações financeiras ao longo do tempo. Assim, é possível saber se, futuramente, vai faltar ou sobrar dinheiro, se terá dinheiro suficiente para honrar os compromissos, se vai precisar negociar um prazo maior com os fornecedores e assim por diante.

Assim, ter uma planilha de fluxo de caixa te permitirá entender a real situação, a cada momento, do seu empreendimento. 

Controle de estoque

Se você lida com produtos físicos sabe que controlar o estoque é fundamental por vários motivos. 

Pense em um supermercado ou em uma farmácia, por exemplo, que tem produtos com prazo de validade. Saber quais produtos e quantos produtos estão perto da data de vencimento é fundamental. A partir disso é possível dar algum tipo de promoção ou colocar os produtos da parte da frente das prateleiras para ter uma venda mais rápida.

Isso não só reduz os custos do negócio como também ajuda a aumentar os lucros e reduzir os riscos de vender produtos com problemas para os clientes. 

Demonstrativo de Resultado de Exercício

É um documento de grande importância, e sabe por quê? Porque é capaz de identificar se a empresa está gerando lucro ou prejuízo dentro de um determinado intervalo de tempo. 

O DRE é obrigatório por lei para todos os tipos de empresas (exceto MEI) e deve ser realizado todos os anos após a finalização do período. Por exemplo, você deve fazer o DRE de 2021 (de janeiro a dezembro) no início de 2022. E lembrando que ele deve ser feito junto com outro documento contábil: o Balanço Patrimonial.

É importante não ver esse documento como mera burocracia, algo que deve ser feito apenas para “cumprir tabela”. As informações do DRE são de grande relevância para você entender de que forma a sua empresa vai alcançar as metas e identificar se as estratégias utilizadas no negócio estão sendo, realmente, efetivas.

Cadastro de Controle de Clientes

Pelo próprio nome já conseguimos imaginar de que tipo de planilha estamos falando. É um local onde você armazena as principais informações de todos os clientes que já passaram pela sua empresa. É importante anotar informações como:

  • nome;
  • idade;
  • produtos comprados;
  • valor da compra;
  • quantas vezes vai ao seu estabelecimento;
  • vezes que foi até ele, mas não comprou e o motivo;
  • com que frequência esse cliente vai à sua empresa.

Essas são as informações principais, pois vai permitir entender melhor os hábitos de consumo de cada cliente e ser mais assertivo no momento da venda. Além disso, pode dar um direcionamento sobre o processo de vendas: se está funcionando ou se precisa de algumas mudanças.

Planilha de Fornecedores

Nessa planilha você vai colocar todos os fornecedores, qualquer empresa que ofereça não só produtos como também serviços para o seu negócio.

E para que ter uma planilha como essa? Além de ser muito bom para a organização do seu negócio como um todo, ela também vai te ajudar a fazer uma cotação de preços. Por exemplo, você vai saber quantos % o preço de um produto que você precisa comprar sempre subiu ao longo do tempo e em quanto tempo.

Pode ser o alerta perfeito para você começar a buscar outros fornecedores quando os valores ficarem acima do que é o ideal para sua empresa ter lucro.

Facilita bastante também o trabalho da equipe que precisa entrar em contato com os fornecedores e fazer orçamentos. Quando todas as informações estão em um único lugar, sem dúvida alguma, há economia de tempo e maior produtividade.

Confira quais informações não podem faltar na sua planilha de fornecedores:

  • dados básicos (razão social, CNPJ, endereço, conta bancária, contato…);
  • formas pagamento, transações anteriores e particularidades de cada um na hora da negociação;
  • todos os produtos e serviços que oferecem e quais sua empresa precisa;
  • preços dos produtos e descontos que já foram ofertados, além das quantidades de produtos que já foram adquiridos.

Você pode acrescentar outras informações ou, simplesmente, retirar alguma. Aqui não há receita de bolo e tudo depende do formato do seu empreendimento.

Planilha de cálculo para capital de giro

O capital de giro é o valor que a empresa precisa para manter a empresa funcionando bem, ainda que tenha algumas baixas nesse meio tempo. Ele é essencial, principalmente, quando a empresa está abrindo e que ainda não consegue ter o lucro suficiente, nem mesmo para a própria manutenção.

Ele é útil também por outros motivos como dar a possibilidade de oferecer vendas à prazo, pagar os fornecedores (matéria-prima) e também ajuda na manutenção dos estoques.

Basicamente, o capital de giro é a diferença entre a soma das despesas e contas a pagar e os recursos disponíveis na empresa.

Vamos detalhar um pouco mais esse cálculo para te ajudar ainda mais:

Capital de giro = todas as contas a receber + o valor que a empresa tem em estoque – despesas e contas a pagar

É bem simples e vale muito a pena fazer esse cálculo. Com todas as informações na planilha de capital de giro fica ainda mais fácil.

Encontre todas essas planilhas no site do Sebrae, faça o seu cadastro e baixe a sua planilha!

Formalizando a empresa

Bom, agora que você já sabe como se planejar para abrir a sua empresa, chegou a hora de formalizá-la. Com tudo já encaminhado, esse é um passo simples, mas que vai fazer toda a diferença.

Para formalizar a sua empresa você vai precisar:

  • definir o tipo de empresa: sociedade anônima, empresário individual, sociedade individual ou limitada;
  • reunir todas as informações sobre os sócios;
  • descrever todas as atividades que serão realizadas pela empresa;
  • estabelecer a divisão de quotas para cada integrante da sociedade;
  • deixar as regras bem claras;
  • especificar questões sobre o pró-labore.

Além disso, vai precisar ir em alguns setores como Junta Comercial e outros a depender da sua cidade e estado. Mas, talvez, o seu contador possa fazer isso por você. Agora que você já tem o seu planejamento, descubra como fazer a abertura da sua empresa de forma prática com um passo a passo!

Rolar para cima

Fique por dentro


Que tal receber no seu e-mail conteúdos que podem ajudar na gestão da sua empresa?

Preencha seu nome e e-mail: